blog: Trechos budistas


Separação

Trechos budistas |

Charlotte Joko Beck (EUA, 1917 ~ 2011): Nosso problema básico como humanos é a relação sujeito-objeto. Quando ouvi pela primeira vez isso há muitos anos, parecia abstrato e irrelevante em minha vida. No entanto, toda nossa desarmonia e dificuldades vêm de não sabermos como lidar com a separação sujeito-objeto. Em termos cotidianos, o mundo é […]


Visualização de si mesmo

Trechos budistas |

Dzongsar Khyentse Rinpoche (Butão, 1961 ~): Agora mesmo, já que que você não consegue evitar de ver o guru ou o Buda como uma entidade independente, separada de você, tente lembrar que o que você vê é exclusivo para você, e tudo que qualquer um de nós vê, ouve ou pensa é baseado em nossa […]


Consumo e cobiça

Trechos budistas |

17º Karmapa (Tibete, 1985 ~ ): […] Às vezes, somos como crianças; quando se trata de lidar com nossas próprias necessidades, com frequência não mostramos nenhum sinal de maturidade. Basta pensar nisso: quando uma criança pequena chora, a maneira mais fácil de fazê-la parar é dar um brinquedo. Nós penduramos e balançamos a coisa na […]


Sinais da compreensão da impermanência

Trechos budistas |

Dilgo Khyentse Rinpoche (Tibete, 1910 – Butão, 1991): Quando você pensa sobre o samsara, se sentir como se estivesse em um navio afundando, em um buraco cheio de cobras, ou como se fosse um criminoso prestes a ser executado, esses realmente são sinais de que você descartou a crença na permanência das coisas. É a […]


Renúncia

Trechos budistas |

Tai Situ Rinpoche (Tibete, 1954 ~ ): Renúncia não significa que você se vira contra as pessoas. Significa que você renuncia ao seu apego a elas. Você se torna como um lótus puro e belo em meio ao odor e sujeira de um brejo, um lótus que — com sua presença — também torna belo […]


Verdadeira segurança

Trechos budistas |

Tenzin Palmo (Inglaterra, 1943 ~): […] A verdadeira segurança só chega a partir do conforto com a insegurança. Se estamos confortáveis com o fluxo das coisas, se estamos confortáveis estando inseguros, então essa é a maior segurança, porque nada pode derrubar nosso equilíbrio. Enquanto tentamos solidificar, interromper o fluxo da água, criar uma barragem, manter […]


Preparar terreno

Trechos budistas |

Charlotte Joko Beck (EUA, 1917 ~ 2011): Lutar com a realidade de nossas vidas faz parte da infindável preparação do solo. Às vezes preparamos bem algum pequeno pedaço de terra. Podemos ter pequenos insights, momentos que florescem. No entanto, ainda há acres de terra não preparada — então, continuamos indo, abrindo cada vez mais nossa […]


Felicidade em cada respiração

Trechos budistas |

17º Karmapa (Tibete, 1985 ~ ): Às vezes, criamos conceitos grandiosos sobre como a felicidade deve parecer para nós, mas se prestarmos atenção, podemos ver que há pequenos símbolos de felicidade em cada respiração. (da página Devotees of the 17th Gyalwang Karmapa Ogyen Trinley Dorje)


Reconhecer o potencial inerente da mente

Trechos budistas |

Yongey Mingyur Rinpoche (Nepal, 1975 ~ ): […] A essência da prática budista não é tanto um esforço para mudar seus pensamentos ou comportamento para que possa se tornar uma pessoa melhor, mas sim em realizar que não importa o que você pense sobre as circunstâncias que definem sua vida, você já está bem, inteiro e […]


Quando a prática real começa

Trechos budistas |

Charlotte Joko Beck (EUA, 1917 ~ 2011): […] Os primeiros anos são mais difíceis que os posteriores. O mais difícil é o primeiro sesshin [retiro], os meses mais difíceis para sentar estão no primeiro ano, o segundo é mais fácil, e assim vai. Mais tarde, pode surgir outra crise, talvez após cinco ou dez anos […]


Sentido da vida

Trechos budistas |

17º Karmapa (Tibete, 1985 ~ ): A ideia de que a vida não tem sentido se os desejos não forem satisfeitos é resultado de um pensamento estreito. É um sinal de que só se pensa em si, com uma ideia bem estreita sobre si mesmo. Mesmo quando a vida parece sem sentido porque nossos desejos […]


Garantir nossa proteção

Trechos budistas |

Chagdud Tulku Rinpoche (Tibete, 12 de agosto de 1930 – Brasil, 17 de novembro de 2002): A palavra “refúgio” denota um lugar seguro ou protegido. Em essência, o voto de refúgio envolve fazer um compromisso para seguir no caminho de não prejudicar. Não é que, após tomarmos refúgio, o Buda ou outro ser iluminado aponta […]