blog: Trechos budistas


Para ser mais esperto que seus hábitos

Trechos budistas |

Dzigar Kongtrül Rinpoche (Índia, 1964 ~): O estudo e prática do darma referem-se a realmente compreender nossos próprios hábitos, ter insight sobre eles a partir de um ponto de vista muito claro e objetivo, e depois encontrar os meios hábeis para trabalhar com esses hábitos. […] Estude os problemas primeiro, depois faça uma ponte com […]


Boa pessoa

Trechos budistas |

17º Karmapa (Tibete, 1985 ~): Às vezes, a coisa mais importante é ser uma boa pessoa, um bom ser humano. Isso é muito importante. Por exemplo, falando de mim mesmo, às vezes penso que sou um verdadeiro seguidor de Buda ou um verdadeiro estudante budista, já que nasci em uma família budista e fui criado […]


Dissolver a auto-importância

Trechos budistas |

Pema Chodron: A ideia fixa que temos de nós mesmos como sólidos e separados uns dos outros é dolorosamente limitadora. É possível se mover dentro do drama de nossas vidas sem acreditar tão fervorosamente no papel que desempenhamos. Levar-nos tão a sério, e nos dar tanta importância em nossas próprias mentes, é um problema para […]


Apenas sentar está OK

Trechos budistas |

Charlotte Joko Beck (EUA, 1917 ~ 2011): […] alguma coisa ou alguém pode nos machucar? Vamos pegar alguns desastres de verdade. Suponha que perdi meu emprego e estou seriamente doente. Suponha que todos meus amigos me deixaram. Suponha que um terremoto destruiu minha casa. Posso ser machucada por tudo isso? Claro que penso que sim. […]


Pare e reduza

Trechos budistas |

Tai Situ Rinpoche (Tibete, 1954 ~ ): Como praticante, como um iogue — você poderia dizer “iogue de fim de semana” ou “iogue de meio-período” — ou do modo como quiser chamar, enfim, como uma pessoa que está sinceramente interessada e aspira a ser um verdadeiro iogue um dia — embora não possamos fazer isso […]


Raiva e desejo

Trechos budistas |

Tenzin Palmo (Inglaterra, 1943 ~): As pessoas estão sempre me perguntando como abandonar a raiva, mas ninguém ainda me perguntou como abandonar o desejo. “Cave in the Snow”, loc. 1002


Empenho e alegria

Trechos budistas |

Chogyam Trungpa (Tibete, 1939 – Canadá, 1987): Já foi dito nos ensinamentos budistas que sem empenho, você não tem como trilhar o caminho. Quando está de férias ou em um feriado, você fica bem inspirado para acordar de manhã, já que espera ter uma experiência ótima. Empenho é como no minuto antes de levantar da cama […]


Instruções que desanimam

Trechos budistas |

Dzongsar Khyentse Rinpoche (Butão, 1961 ~): Práticas budistas são técnicas que usamos para lidar com nosso auto-acariciamento habitual. Cada uma é projetada para atacar hábitos individuais até que a compulsão de se agarrar a um “eu” seja completamente erradicada. Então, embora uma prática possa parecer budista, se ela reforça o apego a si, na verdade […]


Reconhecer samsara

Trechos budistas |

Dzongsar Khyentse Rinpoche (Butão, 1961 ~): Somos continuamente espancados pelas circunstâncias e lutas. Temos que reconhecer o samsara* como perigoso. Se aceitarmos que o samsara é como um terrível despenhadeiro onde estamos despencando, mudaremos nosso sistema de valores. Mas são poucas as pessoas que realmente querem a iluminação, a maioria só quer ter uma vida […]


Amor sem julgamento

Trechos budistas |

Tenzin Palmo (Inglaterra, 1943 ~): Por que alguém entra em retiro? A pessoa entra em retiro para compreender quem ela é de verdade e qual é verdadeiramente a situação. Quando ela começa a compreender a si, então pode verdadeiramente compreender os outros, porque somos todos interligados. É muito difícil entender os outros enquanto ainda somos […]


Cadeia de sentimentos anexos

Trechos budistas |

Pema Chodron: Quando alguém nos culpa, como reagimos? Quando perdemos algo, como reagimos? Quando sentimos que ganhamos algo, como reagimos? Quando sentimos prazer ou dor, é simples assim? Sentimos apenas o prazer ou a dor, ou há todo um encarte que vem junto? Quando ficar curioso sobre essas coisas, olhe para elas, veja quem somos […]


Desconforto e distrações

Trechos budistas |

[…] Há uma necessidade fundamental de entrar em contato direto e não oscilante com nossa natureza buda, e o que evita isso é a mente dualista, que se agarra, e seus processos mentais condicionados. Há um desconforto subjacente que sutilmente permeia nossas experiências. Um observador inconsciente escreve o roteiro, sem notar o verdadeiro brilho interno. […]