posts com a tag: Dilgo Khyentse


Sinais da compreensão da impermanência

Trechos budistas |

Dilgo Khyentse Rinpoche (Tibete, 1910 – Butão, 1991): Quando você pensa sobre o samsara, se sentir como se estivesse em um navio afundando, em um buraco cheio de cobras, ou como se fosse um criminoso prestes a ser executado, esses realmente são sinais de que você descartou a crença na permanência das coisas. É a […]


Sem alterar a simplicidade

Trechos budistas |

Dilgo Khyentse Rinpoche (Tibete, 1910 – Butão, 1991): O vento sopra pelo céu e voa pelos continentes sem jamais assentar em lugar algum. Ele varre o céu, sem deixar absolutamente nenhum traço. Deixe que os pensamentos passem pela mente do mesmo modo, sem deixar nenhum resíduo kármico e jamais alterando sua realização da simplicidade inata. […]


Temporada Khyentse

darma blog |

Jamyang Khyentse Wangpo

Esses últimos dias foram uma temporada Khyentse. Aniversários do atual Dzongsar Khyentse, do anterior e hoje é o de Dilgo Khyentse Rinpoche. Para comemorar: Nada do que se arrepender | Trechos Breve biografia E amanhã é aniversário de Khyentse Yangsi, o atual Dilgo Khyentse!


Nada do que se arrepender

Trechos budistas |

Dilgo Khyentse Rinpoche

Dilgo Khyentse Rinpoche (Tibete, 1910 – Butão, 1991): Milarepa disse: “Minha religião é não ter nada do que se arrepender quando morrer”. Mas a maioria das pessoas não dá nenhuma importância a essa maneira de pensar. Fingimos ser muito calmos e controlados, cheios de palavras doces, para que as pessoas comuns — que não conhecem […]


Usar a depreciação no caminho

Trechos budistas |

Dilgo Khyentse Rinpoche (Tibete, 1910 – Butão, 1991): Mesmo que, em meio a uma multidão de pessoas, alguém exponha suas falhas ou lhe insulte, a prática do bodisatva é honrar essa pessoa respeitosamente e considerá-la como uma guia espiritual. Gyalse Tokme (Tibete, séc. 14) “As 37 práticas do bodisatva”, verso 15 Se quiser ser um […]


Hostilidade e afeição

Trechos budistas |

Dilgo Khyentse Rinpoche

Dilgo Khyentse Rinpoche (Tibete, 1910 – Butão, 1991): De novo e sempre, desenvolva compaixão por todos os seres sencientes em geral e, particularmente, por aqueles que não gostam de você. Pode parecer difícil no começo, mas você nunca irá alcançar a iluminação enquanto sentir hostilidade em relação a seus inimigos. Aqueles que são agora seus […]


Esperança de realização imediata

Trechos budistas |

Dilgo Khyentse Rinpoche (Tibete, 1910 – Butão, 1991) […] Se praticamos dessa maneira por, digamos, um ano, e não vivenciarmos nenhuma realização extraordinária, não devemos ficar desencorajados, nem devemos sucumbir a dúvidas sobre a prática. Como Jetsun Milarepa disse: “Não alimente esperanças de realização imediata, mas pratique por toda a vida”. Se pensarmos com determinação […]


Alegria imensurável

Trechos budistas |

Dilgo Khyentse Rinpoche (Tibete, 1910 – Butão, 1991) Alegria ilimitada é a alegria que você deve sentir quando vê seres afortunados e instruídos que são felizes, famosos ou influentes. Em vez de ficar desconfortável e sentir ciúmes da fortuna deles, regozije sinceramente, pensando: “Possam eles continuar a serem felizes e desfrutar de mais felicidade ainda!”. […]


Epítome da ilusão

Trechos budistas |

Dilgo Khyentse Rinpoche (Tibete, 1910 – Butão, 1991) Um explorador que descobre uma ilha de tesouros pode encher seu navio de ouro, diamantes, safiras, rubis e esmeraldas. Mas sua boa fortuna nem se compara com a vida humana, que nos oferece algo muito mais precioso que qualquer ouro ou pedras preciosas — a chance de […]


Suave sorriso

Trechos budistas |

Do blog quietamente: “Uma vez que você obtém a Visão, embora as percepções ilusórias do samsara possam surgir na sua mente, você será como o céu: não fica particularmente lisonjeado quando surge nele o arco-íris, nem particularmente desapontado quando as nuvens o encobrem. Há uma profunda sensação de contentamento. Você ri por dentro quando vê […]


Identidade persistente

Trechos budistas |

Essa ideia de uma identidade persistente fez você vagar impotente pelos reinos inferiores do samsara por incontáveis vidas passadas. É exatamente isso que agora impede que você e os outros se libertem da existência condicionada. Se pudesse simplesmente largar esse pensamento sobre o “eu”, você descobriria que é fácil ser livre e libertar os outros […]


Reconhecer a vacuidade dos pensamentos

Trechos budistas |

A mente ordinária é caprichosa como um macaco incansável: instantaneamente feliz quando damos a ele um pouco de comida e repentinamente furioso no momento em que o ameaçamos com uma vara. A todo instante a mente se move para algo novo. Em um momento podemos pensar no guru com grande devoção, no próximo estamos ansiando […]