posts com a tag: ego


Cadeia de sentimentos anexos

Trechos budistas |

Pema Chodron: Quando alguém nos culpa, como reagimos? Quando perdemos algo, como reagimos? Quando sentimos que ganhamos algo, como reagimos? Quando sentimos prazer ou dor, é simples assim? Sentimos apenas o prazer ou a dor, ou há todo um encarte que vem junto? Quando ficar curioso sobre essas coisas, olhe para elas, veja quem somos […]


Cristalização do ego

Trechos budistas |

matthieu-ricard

Matthieu Ricard (França, 1946 ~): O ego, escreve o filósofo budista Han de Wit, “é também uma reação afetiva ao nosso campo de experiência, um movimento mental de recuo baseado no medo”. Por medo do mundo e dos outros, por receio de sofrer, por angústia sobre o viver e o morrer, imaginamos que ao nos […]


Quebra da identidade fixa

Trechos budistas |

Pema Chodron: No budismo, chamamos a ideia de ter uma identidade fixa de “fixação no ego”. É o modo como tentamos estabelecer um chão sólido sob nossos pés, em um mundo em constante transformação. A prática da meditação começa a erodir essa identidade fixa. Ao meditar, você começa a se ver com mais claridade, e […]


Limitar a mente

Trechos budistas |

Yongey Mingyur Rinpoche

Yongey Mingyur Rinpoche (Nepal, 1975 ~): Uma das primeiras lições que aprendi com meu pai [Tulku Urgyen Rinpoche] foi que os budistas não vêem a mente como uma entidade distinta, mas como uma experiência em eterna mutação. Posso me lembrar do meu estranhamento inicial diante dessa ideia, sentado na sala de aula do mosteiro no Nepal, […]


Mente estreita, mente aberta

Trechos budistas |

Nyoshul Khen Rinpoche (Tibete, 1932 – França, 1999): A diferença entre as mentes impura e pura, entre a mente iludida e a mente iluminada, é basicamente a diferença entre estreiteza e abertura. Em nosso atual estado iludido, nossa mente é extremamente estreita. Por exemplo, vivemos sozinhos e raramente — se é que isso sequer acontece […]


A prática espiritual vale a pena?

Trechos budistas |

Dalai Lama

Dalai Lama (Tibete, 6 de julho de 1935 ~): A prática espiritual realmente vale a pena? É verdadeiramente possível eliminar de dentro de nós mesmos as forças que fazem surgir o sofrimento? Como é dito: “A natureza última da mente é clara luz”. A consciência tem muitos níveis e, embora os níveis mais ordinários sejam […]


Reconhecer nossa falsidade

Trechos budistas |

É muito importante para nós reconhecermos a nossa própria falsidade. Isso não é um julgamento sobre o fato de que às vezes somos autênticos e às vezes, falsos. Significa que tudo sobre nós, em nosso sentido comum de eu, é falso, porque se baseia em um entendimento enganado sobre a natureza da realidade […]. É […]


Quando o eu precisa ser aprimorado

Trechos budistas |

Dalai Lama (Tibete, 6 de julho de 1935 ~): Quando falamos sobre a noção de “eu” no budismo, é importante ter em mente que há diferentes níveis e tipos. Há alguns tipos de conceito de eu que devem não apenas ser cultivados mas que também precisam ser reforçados e aprimorados. Por exemplo, para ter uma […]


O conceito de eu

Trechos budistas |

jgoldstein

Joseph Goldstein: […] Nessa grandiosa exibição contínua dos elementos, a natureza vazia, insubstancial e condicional do arco-íris se torna clara. Ele não é alguma coisa esperando nos bastidores (ou atrás das nuvens) para entrar em cena. Em vez disso, ele aparece apenas quando as condições certas estão presentes. Do mesmo modo, para cada um de […]


Insight e capacidade de ajudar os outros

Trechos budistas |

Walker Blaine: […] Ausência de ego é um conceito não familiar na maior parte do mundo ocidental. Não estamos acostumados a alimentar a ideia de que — ali por trás de nossos pensamentos cotidianos e atividades — a premissa subjacente de haver um “eu” é uma adição desnecessária. Contudo, não é que absolutamente nada esteja […]


Conclusão da meditação

Trechos budistas |

Thubten Chodron: Ao fazer meditações lamrim*, é importante saber claramente a condição mental que você quer chegar como a conclusão da meditação. Textos lamrim descrevem o objetivo de cada meditação, e queremos garantir que nossa mente chegue a essa conclusão e não a uma conclusão incorreta ou irrelevante. Por exemplo, ao meditar sobre as desvantagens […]