Carne e espírito






O desafio budista às noções ocidentais convencionais sobre espiritualidade traz luz à maneira como colocamos carne e espírito em guerra um com o outro. No budismo, não há pecado original. Embora perceber como expressamos nossa sexualidade pode certamente conduzir a uma consciência sobre a conduta correta, a carne não é encarada como representando corrupção ou punição de qualquer tipo, nem como um obstáculo para a iluminação. A raiz do sofrimento humano não é o pecado, mas nossa confusão sobre o ego. Sofremos porque acreditamos na existência de uma personalidade individual. Essa crença divide o mundo em “eu” e “outro”.

Stephen Butterfield, em artigo da revista Tricycle, Vol. I, nº 4. Tradução da newsletter Tricycle’s Daily Dharma, de 26 de setembro, 2006.


comentários