O que foi a iluminação do Buda






A iluminação do Buda não foi, primeiramente, uma descoberta religiosa. Não foi um encontro místico com Deus ou com um deus. Não foi o recebimento de uma missão divina para espalhar a “Verdade” de “Deus” no mundo.

A iluminação do Buda foi, na verdade, uma experiência direta, exata e ampla da natureza final e da estrutura total da realidade. Foi o cume dos ideais manifestos de qualquer tradição de exploração filosófica ou investigação científica de todos os tempos. “Buddha” não é um nome próprio; é um título, significando “desperto”, “iluminado” e “evoluído”. A iluminação de um buddha é uma onisciência perfeita.

A mente de um buddha é o que teístas imaginaram como seria a mente de Deus: totalmente consciente de cada detalhe de tudo em um universo infinito, totalmente desperta para tudo — assim, por definição, inconcebível, incompreensível para a consciência finita, ignorante e egocênctrica.

Robert A.F. Thurman, em “Essential Tibetan Buddhism”. Tradução da newsletter Tricycle’s Daily Dharma, de 8 de novembro, 2006.


comentários