Amor e apego






O quase-inimigo do amor é o apego. O apego se disfarça como amor. Ele diz: “Vou amar você se você me amar de volta”. É um tipo de “amor para negociantes”. Então pensamos: “Vou amar essa pessoa se ela continuar assim. Vou amar isso se for do jeito que eu quero”. Mas isso jamais é amor — é apego.

Há uma grande diferença entre amor — que permite, honra e aprecia — e apego — que segura, exige e quer possuir. Quando apego se confunde com amor, ele na verdade nos separa da outra pessoa. Sentimos que precisamos dessa outra pessoa para ser feliz. Essa qualidade do apego também nos leva a oferecer amor apenas a certas pessoas, excluindo outras.

Joseph Goldstein, em “Seeking the Heart of Wisdom”.
Tricycle’s Daily Dharma, 28 de julho, 2007.


comentários