Mestre interior






Assim que o “mérito” aumenta, a Natureza Buda começa muito gradualmente a se movimentar. Dentro da mente, um certo interesse por valores espirituais começa a se formar, como uma constelação e, ao mesmo tempo, como a resposta de um eco, sinais da doutrina vão lentamente começar a aparecer na vivência externa.

Falando metaforicamente, isso pode ser visto como a externalização ou projeção da Natureza Buda se manifestando a partir da realidade interna. Uma pessoa em que tal processo começa a se desdobrar vai inconscientemente gravitar em torno de ensinamentos espirituais, se encontrando em situações onde receber instrução e praticar se torna possível.

Ela vai entrar em contato com professores que podem guiá-la no caminho. E, finalmente, vai encontrar um mestre capaz de colocá-la no estado último da liberdade, introduzindo-a à sua própria natureza verdadeira e primordial, de uma maneira que ultrapassa bastante a mera compreensão intelectual.

Esse momento decisivo é o mais crucial encontro em toda a existência cíclica de uma pessoa. Porque é aqui que o processo interdependente já descrito alcança sua conclusão e preenchimento.

Poderia ser dito que a aparição de tal mestre é a manifestação última da Natureza Buda da pessoa no nível da dualidade — sua função é trazer o discípulo à experiência direta dessa natureza, a descoberta do assim chamado mestre interior, o guru que está dentro.

Grupo de Tradução Padmakara, na introdução do livro “Lady of The Lotus Born”


comentários