Fortalecimento com dificuldades






Durante a prática do Darma as dificuldades se manifestam de muitas formas, desde dores nos joelhos a sérias doenças, desde medonha pobreza a esmagadoras responsabilidades mundanas, desde encontros hostis a legiões de amigos para nos distrair da prática, desde estados mentais que obscurecem o Darma com emoções aflitivas a padrões de pensamento que o obscurecem com palavras.

As dificuldades superadas pelos grandes praticantes do passado, a começar pelo Buda Shakiamuni, são lendárias. Dificuldades que teriam derrotado qualquer um de intenções mais fracas — exílio, exposição ao ridículo, ataques, demônios, condições climáticas extremas, destruição da terra natal e de textos, separação física de lamas — somente serviram para fortalecer sua prática.

Pacientemente, os grandes praticantes se libertaram de cada fio da aprisionadora teia da ilusão, do apego e aversão, da esperança e do medo, e de tudo que se interpunha entre eles e a revelação da natureza absoluta.

Quando nos deparamos com dificuldades na prática, não deveríamos titubear. Deveríamos, ao invés, restabelecer nossa motivação pura e lidar pacientemente com as dificuldades utilizando quaisquer habilidades que dominemos. Se penetrarmos no âmago da dificuldade, não encontraremos nada aí, nenhuma realidade inerente a não ser o resíduo onírico da experiência relativa. Uma vez que vejamos isso, a paciência cede lugar à confiança.

Chagdud Khadro
“Comentários sobre o Ngondro”
(instruções compiladas dos ensinamentos de Chagdud Tulku Rinpoche)


comentários