Encontro com o mestre espiritual






A razão pela qual as qualidades de um mestre são descritas em tantos detalhes nas escrituras é porque devemos estar cientes do que procurar quando buscamos um Guru que seja capaz de abrir dentro de nós o caminho budista. Receber ensinamentos de um professor desqualificado pode ser desastroso. As escrituras tântricas nos ensinam que uma pessoa não é imprudente por examinar um Guru por mais de doze anos antes de aceitá-lo como seu professor. A escolha do mestre é uma importante escolha e deve ser feita criteriosamente.

O Guru não somente desempenha o trabalho dos Budas e, portanto, a eles se iguala em sua atividade, mas os ultrapassa em termos de sua benevolência. De todos os Budas do passado que se manifestaram na qualidade de mestres universais, é nos dito que o Buda Shakyamuni deles foi o mais benevolente para nós, pois foram seus ensinamentos que nos colocaram em contato… muito embora o Buda Shakyamuni seja o mais benevolente dos Budas do passado, mesmo assim não somos capazes de receber ensinamentos diretamente dele ou presenciar sua inspiradora presença.

Mesmo que todos os Budas e mestres da linhagem do passado manifestassem-se para nós neste exato momento, nós não teríamos a capacidade de reconhecê-los como seres iluminados. E em razão de não termos com eles conexões cármicas suficientemente fortes, eles seriam insuficientes em poder nos afetar (ajudar). O Guru realiza a grande benevolência de vir até nós como uma pessoa comum que podemos perceber e com a qual podemos nos relacionar e assim executar o trabalho dos Budas em nossas vidas. O fato de ignorantes como nós sermos levados para dentro do seio da familia dos seres esprirituais pode somente ocorrer para nós com a ajuda do Guru. Assim, se não respeitarmos nosso mestre e não ouvirmos com cautela e atenção a seus ensinamentos, que esperança podemos ter? Devemos meditar sobre a insuperável bondade do Guru e deixar nascer uma profunda apreciação por ele.

A razão pela qual estamos vagando ininterruptamente pela existência cíclica desde tempos imemoriais é porque nós não encontramos ainda um mestre espriritual no passado; ou mesmo que o tenhamos encontrado, nós não cultivamos com ele ou ela uma efetiva relação [mestre-aluno]. Devemos estar determinados de tomar para nós a oportunidade ímpar de nossa atual condição humana e cultivar a prática espiritual sob a orientação de um mestre.

Dalai Lama (Tibete, 1935 ~)
“The Path to Enlightenment”
(Dharma Quote of The Week – Snow Lion, 17/09/2010)

* copiado do post do Marcelo Thiollier, no Blogsattva. Valeu!


comentários