Bondade materna






[…] Como não há um começo fixo para a vida senciente e a existência cíclica, uma pessoa já teve um número infinito de vidas passadas; e todos os outros seres compartilham essa mesma situação. Assim segue-se que não há um lugar onde podemos dizer que nunca nascemos, e não há um ser senciente que possamos afirmar que nunca foi nossa mãe. Na verdade, cada um de todos os seres sencientes já foi nossa mãe incontáveis vezes.
III Dalai Lama

A bondade materna é escolhida como exemplo do nível de bondade que todos os seres já nos demonstraram, porque no samsara geralmente a preocupação maternal é algo muito forte e óbvio. Podemos ver a bondade de uma mãe não apenas em humanos mas também nos animais. Uma cadela irá morrer de fome para poder nutrir seus filhos e daria a vida para protegê-los. Do mesmo modo, mesmo se nossa mãe nos fosse estranha de algum modo ela ainda teria, instintiva e inconscientemente, nos demonstrado grande bondade.

Todos os seres já nos amaram exatamente desse modo, sacrificando sua comida por nós e até morrendo para nos proteger, porque seu amor por nós era tão forte. As pessoas que são amigas, inimigas ou estranhas a nós nesta vida nos deram a grande bondade maternal em incontáveis vidas anteriores.

Na verdade, não há um imperativo de que o amor materno seja o modelo usado aqui, se isso for causar algum problema. Se temos problemas sérios na relação com nossa mãe, ou se éramos órfãos e um tio ou tia cuidou de nós, podemos facilmente tomar quem quer que tenha sido a pessoa mais bondosa conosco e usá-la como um modelo alternativo. Então contemplamos como todos os seres sencientes já nasceram nesse mesmo tipo de relacionamento conosco em incontáveis vidas anteriores, nos dando essa mesma bondade. Temos que aprender a ver todos os seres sencientes através da imagem dessa pessoa.

Como resultado dessa meditação, a pessoa ganha um sentimento de familiaridade espontânea com todos os seres sencientes, um reconhecimento de que eles de algum modo são muito próximos a nós e muito preciosos.

XIV Dalai Lama (Tibete, 1935 ~)
“The Path to Enlightenment”
(Dharma Quote of The Week – Snow Lion, 08/05/2010)


comentários