Reconhecimento sem distração






De tudo que percebemos como formas e sons, não há nada que não surja da mente. Reconhecer que a mente é estado desperto primordial inseparável de vacuidade é a visão. Manter esse reconhecimento o tempo todo, sem se distrair, é a meditação. Praticar as duas acumulações como uma ilusão mágica a partir desse estado é a ação.

Se você fizer dessa prática uma experiência viva, ela terá continuidade em seus sonhos. Se estiver presente no estado do sonho, estará presente no momento da morte. Estando presente no momento da morte, estará presente no estado intermediário. E, se estiver presente no estado intermediário, você pode ter certeza de que atingirá a realização suprema.

Atisha (Índia/Tibete, ano 982-1054)
citado por Patrul Rinpoche
em “As Palavras do Meu Professor Perfeito”, 2ª parte | cap. 3


comentários