Mente estreita, mente aberta






Nyoshul Khen Rinpoche (Tibete, 1932 – França, 1999):

A diferença entre as mentes impura e pura, entre a mente iludida e a mente iluminada, é basicamente a diferença entre estreiteza e abertura.

Em nosso atual estado iludido, nossa mente é extremamente estreita. Por exemplo, vivemos sozinhos e raramente — se é que isso sequer acontece — consideramos a infinidade de seres sencientes. Quanto mais constrita e estreita for a mente, mais ela pensa só em si, ignorando completamente o bem-estar, felicidade e sofrimento dos outros.

Proporcionalmente, o Buda iluminado é alguém que considera a infinidade de seres sencientes, em vez de estar preocupado apenas com seu próprio ego e individualidade.

Assim, o caminho inteiro — desde um ser comum até o estado búdico — é uma abertura gradual da mente. Isso é exatamente o que chamamos de “djang tchub” ou “sem kye”: literalmente, crescer e desenvolver essa atitude iluminada. O conceito de “crescer” é usado aqui para ilustrar a travessia a partir de uma atitude completamente estreita, focada mais em si mesmo, para um coração aberto e amável, cujo foco instintivamente cobre toda a infinidade dos seres sencientes.

“Natural Great Perfection”, loc. 394


comentários