Sobre a ganância






Dalai Lama (Tibete, 6 de julho de 1935 ~):

A ganância é uma forma de desejo. Contudo, é um tipo exagerado de desejo, baseado em uma expectativa exagerada. O verdadeiro antídoto para a ganância é o contentamento.

Para um praticante budista, um praticante do Dharma, muitas práticas podem atuar como uma forma de força contrária à ganância: a compreensão do valor de se buscar liberação do sofrimento, reconhecer a natureza de insatisfação subjacente à existência, e tudo mais.

Esses pontos de vista também ajudam um indivíduo a neutralizar a ganância. Mas em termos de uma resposta imediata, uma maneira é refletir sobre os excessos da ganância: o que ela faz com uma pessoa, para onde ela leva. A ganância leva para um sentimento de frustração, desapontamento, muita confusão e muitos problemas.

Quando se trata de lidar com a ganância, uma coisa bem particular é que embora ela venha do desejo de se obter algo, ela não se satisfaz ao obter isso. Assim, ela se torna sem limites, e isso leva a problemas. O interessante da ganância é que embora sua motivação subjacente seja a busca por satisfação, como apontei, mesmo após obter o objeto de desejo, a pessoa não se satisfaz.

Por outro lado, se a pessoa tem um forte sentimento de contentamento, não importa se ela obteve o objeto ou não; de qualquer modo, ela está contente.

“Healing Anger: The Power of Patience from a Buddhist Perspective”
(Dharma Quote of The Week – Snow Lion, 06/01/2012)

 
 

comentários